08 maio Embalagem econômica cresce na crise.

A crise econômica que o Brasil tem enfrentado nos últimos tempos está mudando a preferência do brasileiro na hora de comprar produtos como alimentandos industrializados e itens de higiene e limpeza.

As embalagens maiores, também conhecidas como econômicas, caíram no gosto do consumidor e tiveram um aumento de 60% nas vendas. Nesse tipo de compra, o consumidor desembolsa mais num primeiro momento, mas o produto sai por um valor unitário menor.

As embalagens pequenas também tiveram um crescimento de 40% nas vendas. Nesse tipo de embalagem, o consumidor gasta menos na hora da compra, levando para casa uma quantidade reduzida de produtos.

Acredita-se que a crise acelerou o efeito ‘ampulheta’ no consumo, já que o crescimento ocorre nos extremos e os tamanhos intermediários perdem participação, conforme observa o analista de mercado da consultoria, Jonathas Rosa. Ele conta que pela primeira vez foi identificado esse movimento nas vendas no início do ano passado e, de lá para cá, essa tendência ganhou força.

“Observamos o mesmo comportamento das embalagens se repetindo nas marcas”, diz o consultor. A participação nas vendas das marcas de preço menor e maior é crescente dentro de uma mesma categoria de produto. Segundo ele, esse movimento pode estar ligado à crise, já que as classes sociais que sofrem menor impacto continuam comprando os produtos mais caros, enquanto a grande maioria dos brasileiros busca marcas mais baratas

(Fonte: Portal Exame, 08 de fevereiro de 2016)